31 julho 2010

*Luana batendo palminha*

Estou sempre cantando e batendo palmas com os bebês. Eles ficam encantados olhando o movimento das minhas mãos. Durante a semana, enquanto eu cantava "Parabéns a você" o Matheus olhou, analisou e bateu uma palma. Pensei que outras viriam em seguida, mas por enquanto não, ele olha, dá risada.

Mas hoje quem surpreendeu foi a Luaninha. Quando estava quase acabando a sessão de fisioterapia ela olhou para mim e para o papai e começou a bater palminhas. Eu nem acreditei! Quando chegamos em casa começamos a cantar e...

video

28 julho 2010

*Menina Moleca (ou seria melhor Menina Meleca?)*

Video da nossa pequenininha aprontando na hora do almoço!


video

Música: "Menina Moleca" - Palavra Cantada

*Viva a Camomilina C*

A Lala sempre foi a mais chatinha para comer, enquanto a Lu e o Teteu só faltam lamber o prato! Eu passava o almoço e jantar falando "Abre a boca, mastiga, engole" e sem olhar para o lado, senão ela cuspia tudo. Mas ainda assim comia.
O problema é que ela foi comendo cada dia menos e menos até que parou de comer e substituia o almoço e jantar por uma choradeira sem fim. Eu não dava leite para ela não ficar mal acostumada e também só a tirava do cadeirão depois que os irmãos terminassem de comer, para ela entender que aquela era a hora de comer.
Essa situação começou a me consumir, eu não aguentava ver minha pequena passando o dia só com três mamadeiras (e nem resmungava de fome) e com aversão a comida.

Juntei uma assadura fotíssima que ela teve, com uma diarréia, a babação sem fim com a falta de apetite e concluí: só pode ser dente vindo aí! Comecei a dar Camomilina C.

Resolvi ligar para a pediatra depois de um estressante almoço e ela pediu para que eu passase lá que solicitaria exames para ver se não é nenhuma infecção e se não está com anemia.

Ainda não a levei para fazer os exames (por falta de tempo e problemas na logística familiar rsrsrsrs), mas ela começou a comer no segundo dia da Camomilina C! Está uma draguinha, tem até deixado o Matheus "no chinelo".

Eu a levarei para fazer todos os exames ainda esta semana, mas já estou bem mais aliviada por vê-la devorando o prato de comida!!!

24 julho 2010

*Luaninha 100%*

Durante o tempo em que os bebês estiveram internados na UTI Neo realizaram inúmeros exames.

Em um deles, o ultrassom de crânio, revelou que a Luana tinha uma Hemorragia grau I no cérebro. Essa hemorragia é comum em prematuros pela espessura das veias e geralmente é absorvida pelo organismo, no entanto é bastante assustadora para uma mãe. Foi por conta disso que começaram a ser acompanhados pela neuro, já que a Luana iria, resolvemos levar os três, assim seria mais um especialista acompanhando de perto o desenvolvimento deles.

Com 1 mês e meio ela refez o exame e a hemorragia tinha sumido, deixando apenas uns cistinhos.
Essa semana levei-a para repetir o ultrassom e... NÃO TEM MAIS NADA!!!!!! Graças a Deus ela já está livre deste pepininho!!!!

Já era sabido que ela não tinha absolutamente nada, afinal é super ativa, esperta e sapeca, mas nada como ter o resultado do exame na mão comprovando isso!!!

19 julho 2010

*Novos rumos*

Hoje em dia é comum entre as mulheres investir em sua carreira profissional e protelar a maternidade. Fui na contramão.

Sou professora e amo minha profissão. Desde sempre quis ser professora, tinha em mente terminar o ginásio, fazer magistério no CEFAM e cursar Pedagogia. Pois foi exatamente assim que as coisas aconteceram.
Logo entrei na Prefeitura de São Paulo e aí sim aprendi a profissão. Vivi intensamente meus anos em sala de aula, sempre crescendo, aprendendo, estudando e acreditando em um ensino público de qualidade.
Em 2007 fui convidada para trabalhar na Divisão de Orientação Técnica-Pedagógica (DOT-P) da Diretoria Regional de Educação Jaçanã/ Tremembé com formação de professores. Passei a ver a educação de um outro ângulo, desde a Secretaria da Educação até a sala de aula. Trabalhar lá me abriu muitas portas, pois fui convidada para trabalhar em outras instituições que formam professores, assim passei a assumir um compromisso também com a Secretaria da Educação de Rio Branco, no Acre. Fui algumas vezes para lá, durante minhas férias na prefeitura de São Paulo, trabalhar com os professores de Rio Branco e de Sena Madureira. Foi uma experiência incrível!
Minha carreira estava decolando cada vez mais, no entanto o sonho de ser mãe sempre esteve latente em mim. E sempre quis ser mãe nova. Resolvi que era hora de me entregar à maternidade, assim eu ainda terei muito tempo para retomar minha carreira profissional. A primeira coisa de que abri mão foram as viagens ao Acre, tinha acabado de engravidar, descobri que eram trigêmeos e minha médica ponderou que seria um risco muito grande fazer uma viagem tão grande e até desgastante.
Saí de licença médica pela gravidez de alto risco e me comprometi com minha diretora e com minhas colegas de trabalho que assim que terminasse minha licença gestante retomaria o trabalho na DOT-P. Porém as coisas nem sempre são como planejamos.
Eu passo 24 horas por dia "grudada" nos bebês, cuido deles com o maior zelo e maior amor, e sofro de pretensão maternal, ou seja acho que ninguém cuidará deles melhor do que eu!
Esse meu pequeno "probleminha", aliado ao fato de que nossa nova funcionária (a Zenaide) só começou a trabalhar conosco hoje, dia em que eu deveria voltar ao trabalho, me fez tomar uma difícil, dolorida, porém sábia decisão após conversar muito com minha diretora, com meu marido, minha mãe, minha irmã e minhas grandes amigas: estou voltando para a sala de aula! Parar de trabalhar não (por um momento até desejei isso, mas não dá, preciso do meu trabalho para alimentar minha alma), mas reduzir a carga de trabalho. No DOT-P meu horário é das 08h00 às 17h00, acrescido 1 hora para ir e 1 hora para voltar, passaria o dia todo longe deles, em sala de aula trabalharei das 07h15 às 13h35. Perfeito! Terei menos dinheiro, mas terei mais tempo para cheirá-los, beijá-los, educá-los, vê-los crescer e se desenvolver com muito amor e perfeição!!!

O futuro a Deus pertence. E como disseram minhas amigas, trabalhar o dia todo, ascender profissionalmente eu poderei sempre, tê-los pequenininho é uma vez só na vida. Agora é o momento de curti-los!!!

18 julho 2010

*Bem vindos Vovô e Vovó*

Domingo. Fomos ao aeroporto buscar o vovô Hélio e a vovó Elizete que chegaram de uma viagem de quase 10 dias. Estávamos com muitas saudades!!!!



Durante esses dias nos falamos pelo Skype, e foi muito legal colocá-los para ver o vovô e a vovó. Eles olhavam para a tela, olhavam para mim, voltavam a olhar para a tela e se manifestavam fazendo carrinho, balançando as perninhas, batendo no notebook... uma graça!

No aeroporto, quando viram o vovô e a vovó, abriram um sorrisinho e já ganharam presente. Não ficaram lindos?!


17 julho 2010

*Novos Cinéfilos*

Depois da sessão de cinema que curtimos na quinta-feira, resolvemos virar fã de carteirinha do projeto Cinematerna e voltamos no sábado para assistir Shrek para sempre em 3D, mas dessa vez fomos apenas eu e o papai com o trio. E foi realmente super tranquilo! Entrei com o Matheus no colo e uma bolsa com as coisinhas que poderíamos precisar e o Conas com a Lala no colo e a Luana no bebê conforto, os três com a barriguinha bem cheia, pois demos o almoço antes de entrar na sala. Assim que o filme começou a Lala dormiu, então foi para o bebê conforto. Durante o filme a Lu e o Teteu também dormiram um pouco, depois os três acordaram e ficaram quietinhos acompanhando o filme. Sem chorar, sem resmungar, sem gritar... uma gostosura!!!

Nos empolgamos e voltaremos na terça-feira!!!



15 julho 2010

*Cinematerna*

O que faz uma mãe de três bebês em um dia frio e chuvoso?

Agasalha todo mundo, arruma malinhas, convida duas tias e duas primas bem dispostas e corre para o CINEMA, claro!!!

Hoje fomos ao cinema, conferir a inauguração do Cinematerna no shopping Anália Franco. Assistimos Plano B, não é um super filme, mas deu para dar boas risadas e curtir a oportunidade de ir ao cinema acompanhada dos meus pequerruchos.

Foi super tranquilo! Tudo bem, super é um exagero, mas foi... O Matheus chorou um pouquinho, estava com sono e não conseguia dormir com um bebezinho resmungando ao lado dele. Levei-o para fora um pouquinho, dei a mamadeira e ele se acalmou. As meninas se comportaram como duas princesas.

Eu amei o passeio! Acho este projeto incrível, uma super oportunidade para nós mães curtirmos um passeio com a nossa cara sem deixar nossos bebês.

Eva, Tia Edilene, Eu, Gabi, Giu
Lala, Teteu, Lu




Tia Eva, tia Edilene, Gabi e Giu
Muito obrigada pela companhia e pela boa vontade!!!
Jê e Sé
Obrigada pela visita na porta do cinema!!!

13 julho 2010

*Pediatra*

Mais uma consulta!
Mais uma vez saímos de lá muito felizes! E com os braços bem doloridos, pois desta vez fomos só eu e o Conas (minha mãe sempre vai conosco, mas está viajando com meu pai. As trivovós também merecem férias). Eu levei o Matheus no colo e o Conas levou as meninas no bebê conforto. Eles já estão bem pesadinhos, está cada dia mais difícil carregar dois ao mesmo tempo, ainda mais no bebê conforto .

Os três estão muito bem, impressionando a doutora com o excelente desenvolvimento.

Larissa - 7750g / 67,5cm (continua com peso e altura de miss)
Luana - 6850g / 64,5cm (tem a boquinha santa, foi a que mais ganhou peso)
Matheus - 8950g / 69cm (continua sendo um bebezão!)

Não tivemos grandes mudanças na alimentação, por isso nossa rotina continuará igual:

07h00 / 07h30 - Acordam e mamam
09h00 - Frutinha
10h00 - Soneca (se o Matheus não dormir às 10h00 não almoça)
11h00 - Almoço (com um suquinho no final)
15h00 - Leite batido com uma fruta
17h00 - Soneca
18h00 - Jantar
19h30 - Banho
21h00 - Mamá, seguido de uma história, beijinhos e "Boa noite!"

08 julho 2010

*O que aprendi com meus filhos...*

Faz 7 meses que vivo intensamente minha missão MÃE. Desde dezembro de 2009 sou mãe 24 horas por dia e me sinto muito realizada, completa. Esses três bebezinhos que tenho o incrível prazer de chamar de FILHOS me ensinaram muito, e continuarão a me ensinar por toda a vida, pois cada fase da vida deles vem carregada de ensinamentos também para os pais.


Cuidar deles sem ter babá, enfermeira e por vezes até sem faxineira, me fez aprender coisas valiosas.


1. Filtre
Ler livros, artigos, revistas, blogs, conversar em fóruns é muito interessante, sempre aprendemos algo, conhecemos outras histórias, no entanto nem tudo o que serve para um serve para o outro. Cada realidade é única, as famílias, os hábitos, as condições, as culturas são diferentes.
Confiar no sexto sentido e no instinto maternal são as melhores armas de que dispomos.


Também é muito importante filtrar tudo o que se ouve. Minha mãe sempre diz que temos que ter um filtro entre o cerébro e a boca, nem tudo o que pensamos devemos falar, porém nem todo mundo conhece esta regrinha básica da boa educação, então não vale a pena se estressar com pessoas que falam bobeiras, que falam sem pensar, ou que falam tentando ajudar e só acabam atrapalhando. Se alguém disser "Nossa, que aflição, como seu bebê é pequeno!" respire fundo e deixe para lá (por mais de isso doa por ser a última coisa que você quer ouvir depois de uma gravidez de risco e passar pela tristeza de ter alta e esperar alguns dias para ter seu bebê no seio de seu lar). Se ouvir você tem que fazer assim, faça daquele jeito, precisa comprar sei lá o que, credo são três, meu Deus, se 1 já dá trabalho imagine 3... conte até 10, dê um sorrisinho amarelo e não responda! Muitas vezes as pessoas não falam por mal.


2. Rotina
Ter uma rotina bem estruturada com o horário dos mamas, do almoço e jantar, do banho e de dormir não é frescura de mãe neurótica super controladora. A rotina é importantíssima, torna os bebês menos ansiosos uma vez que sabem a sequência das atividades que realizarão, nos ajuda na organização do tempo, sobrando um tempinho para entrar na internet, ler um livro, assistir um programa, pintar a unha... A rotina pode ser implantada desde a chegada dos bebês em casa, eles são muito espertinhos e logo entendem como as coisas funcionam.
Aqui em casa sempre tivemos rotina e sempre funcionou maravilhosamente bem!


Uma rotina para a hora de dormir também é bacana. Ultimamente nossas noites tês sido assim: banhos, mamás, leio uma história com eles inclinadinhos deitados na minha cama, beijinho e berço com eles ainda acordados ouvindo o CD Mozart para bebês. Eles têm dormindo melhor ainda e acordam super calminhos. Nunca mais acordaram chorando para mamar. Eu acordo geralmente com o Matheus "conversando" com os ursinhos do seu móbile e tentando pegá-los com os pés. Dá tempo de descer, fazer as mamadeiras e aparecer no berço para ganhar um sorriso lindo para começar bem  dia.


3. Pague mico
Cantar fazendo diferentes vozes, dançar enlouquecidamente no meio da sala, falar com voz de pato, inventar músicas para a hora que acordam, para a hora de comer e de tomar banho são micos que valem muito a pena serem pagos. Não existe coisa melhor do que vê-los rindo, gargalhando com essas patifarias. Essa é uma das grandes vantagens de não ter babá, não tenho coragem de fazer essas micagens na frente de mais ninguém!!!


4. Passeie
Passear é muito bom! Os bebês logo começam a gostar (já percebi que os meus gostam bastante de passear, mas gostam de lugares onde temos que ficar andando, como shopping, parque. É só parar o carrinho para começar o resmungo). Se você estiver com vontade de sair, arrume as coisinhas deles (roupas, fraldas, mamadeiras, leite, água, um brinquedinho) coloque-os no carro e convide alguém para ir com você. Sair sozinho com os três é impossível, pois precisa de mais alguém para ajudar a empurrar um dos carrinhos e para ajudar na troca de fraldas.


5. Não subestime a capacidade dos bebês
Em diversos lugares lemos sobre o atraso no desenvolvimento do prematuro. Aqui cabe o filtro (do primeiro item). Todo dia 7 leio sobre as artmanhas que um bebê da idade deles já faz. Os meus sempre estiveram com o desenvolvimento perfeito! Eu nunca forcei nenhuma situação, mas sempre estimulei muito eles, não para que se adiantassem, mas porque sempre quis vê-los se divertindo, descobrindo coisas novas, descobrindo suas capacidades.


6. Disponha de algo que os entretenha
Um DVD que eles curtam muito é de grande utilidade para os momentos em que você precisa que eles fiquem quietinhos para você fazer alguma coisa. A série de videos Bebê Mais faz verdadeiros milagres aqui em casa. Consigo lavar a louça, a roupa, passar roupa, fazer a comida deles, limpar e arrumar a casa enquanto eles ficam sem piscar assistindo àquelas imagens simples que têm como trilha sonora música clássica e cantigas populares.


7. Deixe a preguiça de lado
Ter disposição é fundamental para qualquer ser que resolva ser mãe. Sair de casa dá trabalho pela logística que exige, montar cadeirões, dar comida, banhos, mamadeiras... tudo isso é trabalhoso, mas quem disse que o trabalhoso precisa ser enfadonho? Tudo o que faço pelos mes bebês é com o maior amor e disposição. Se estou com meu marido, em menos de 5 minutos colocamos os três no carro e guardamos os carrinhos. Como minha casa é pequena, todo dia na hora do almoço e jantar monto e desmonto os cadeirões, e enquanto faço isso já vou perguntando "quem vai papar tudo?" e cantando as musiquinhas que inventamos para a hora das refeições. Quando acabam, vou dando os parabéns e mil brijinhos por terem comido tudo enquanto vou tirando do cadeirão, limpando e guardando. A hora do banho é o momento que encontro para individualizar a atenção, então deixo dois no berço brincando e levo um cantando, conversando...
Também já inventei de levá-los para brincar no jardim do condomínio sozinha. Isso deu um pouco de trabalho, pois empurrei dois carrinhos e levei um bebê no colo. Sem contar a infinidade de brinquedos que levei e o edredon. Mas eu não queria perder aquela tarde de sol de jeito nenhum.


8. Seja paciente
Saber contar até 10, 100, 1000 é muito importante rsrsrs. É difícil acontecer aqui em casa, mas já estive sozinha com os três chorando ao mesmo tempo. Se desesperar é bobagem, só vai te deixar mais nervosa e sem ação, então paro e penso no motivo pelo qual estão chorando, se é fome, paciência, terão que chorar até eu preparar as mamadeiras. Se for sono, terão que se contentar com o balanço do bebê conforto (me especializei em utilizar os pés e as mãos ao mesmo tempo. Com o tempo as sinfonias de chororôs vão diminuindo, não consigo lembrar quando foi a última vez que tive que contar até 100. Eles percebem que não conseguem as coisas na base do choro, e também aprendem a se entreter com diversas coisas, então sempre estão com um brinquedo que gostam na mão. Antes era muito comum ter chororô no horário do banho, pois eles ficam com um sono absurdo depois e querem companhia, colinho. Agora deixo-os no berço enquanto dou os banhos e lá ficam brincando com o móbile, tentando pegar os ursinhos que vão passando (muitas vezes conseguem, e foi assim que a Lala quebrou o móbile do Matheus, puxou com tanta força para morder que quebrou).


9. Não se desepere
Criança golfa mesmo, espirra, se engasga, chora... isso é normal, o importante é manter o controle. Em 7 meses teve um engasgo do Matheus que me desesperou, pois ele ficou super vermelho e emitindo um som estranho. Pensei em ligar para os bombeiros, aí lembrei que o papai é bombeiro e liguei para ele. Dei uns tapas nas costas do Matheus e pronto (acho que ele chorou mais dos tapas do que do engasgo). Depois eu me acabei de chorar e ele ficou olhando para a minha cara rsrsrsrs. Também levei a Larissa no pronto-socorro no segundo dia que ela estava em casa porque ela espirrou. A médica examinou e disse umas mil vezes "os exames não indicam nada, é normal espirrar" (quando contei isso para minha amiga Gislaine ela se acabou de rir e disse que também é normal os bebês soltarem pum. Ainda bem que ela avisou, pois eles são fera!).
Tentar perceber a diferença do choro deles também é importante, tem choro de fome, de sono, de manha, de pesadelo... assim podemos antecipar nossa atitude.


10. Divirta-se
Pais felizes e realizados criam filhos felizes. Aqui em casa tudo é feito com muito amor e dedicação!
Muita gente estranha o jeito que cuidamos deles. Não sei bem o porque, fazemos o que temos vontade e que sabemos que eles curtirão, sem descuidar da segurança e bem estar deles jamais.
Abrimos mão de várias coisas em prol deles, mas nada foi um esforço para nós, sempre é um prazer.
Eu me sinto muito feliz por tê-los comigo, muito realizada e muito orgulhosa por eles serem tão lindos e tão espertos e tão encantadores e tão fantásticos e tão tão tão
Claro que às vezes escapa um "que saco", "poxa filha, você precisa dar chilique", "chega agora!", afinal ninguém é de ferro!




E seja muito CORUJA mesmo, assumida. Conte ao vento o quanto seus filhos são lindos, o quanto são espertos, o quanto se desenvolvem tanto a cada dia e deixe o mundo saber da benção que Deus fez na sua vida!!!

*Eu amo ser mãe de gêmeos...*

Obrigada pelo selinho Vanessa (http://mamydegemeos.blogspot.com/)!!!


Eu amo ser mãe de trigêmeos porque...

tenho 6 olhinhos me olhando
tenho 3 boquinha sorrindo para mim
tenho 6 mãozinhas me fazendo carinho

e porque acho lindo a interação entre eles!!!

*7º MESANIVERSÁRIO*

Parabéns meus filhos, mais um mês brilhando neste mundo!!!

O dia do trio foi cheio, pois à tarde levamos a titia Dani ao aeroporto para seu intercâmbio no Canadá. Acabamos pulando o jantar e dando leite no lugar. Depois viemos para casa junto com o vovô Hélio e vovó Elizete e esperamos o papai chegar para cantar Parabéns! A mamãe aqui teve a péssima ideia de colocar o bolo em uma mesinha que comprei para eles, então a Luana quis colocar a mão no bolo, puxou a toalhinha e quase o bolo cai no tatame deles. Como afastei um pouco o bolo ela desabou a chorar!!! Depois do parabéns resolvi liberar e as meninas enfiaram a mão na cobertura, foi chocolate para todo canto!!!





Os três estão lindos, uns mocinhos!!! Não são mais aqueles bebezinhos que conseguiamos pegar só com uma mão, que só mamavam e dormiam, que colocávamos no peito e eles se aconchegavam... Agora só querem brincar, falar, "fazer bagunça". Estão cada dia mais gostosos, e eu me sinto cada dia mais feliz, mais orgulhosa e mais realizada! E comem muito bem tudo que oferecemos. Ninguém acredita que eles comerão tudo quando vêm o tamanho do prato. E mandam ver! O Matheus e a Luana são os que comem melhor, comem muito, a Lala logo se enche, aí começa a fazer carrinho com a comida na boca e é aquela sujeira! Os três já comeram banana sem ser amassadinha, segurando ela toda. E comeram direitinho! Como "presente" de mesaniversário comeram bolacha maizena e biscoito de polvilho. Adoraram!!! As meninas seguram direitinho, mas o Matheus quer que seguremos para ele, pode?! Os três também estão super palhaços, adoram chamar a atenção e têm gostado da plateia que se junta em volta deles quando saimos, distribuem sorrisinhos e gargalhadas, carrinhos e até as fingidas tosses!







..............................................

Hoje aconteceu algo incrível com o papai que merece ser registrado.
Durante seu dia de trabalho saiu para atender uma ocorrência que, a princípio, era de queda. Chegando ao local, se deparou com uma mulher deitada em uma cama em uma casa bastante simples onde só moram bolivianos, então a comunicação ficou um pouco dificultada. Quando se dirigiu à mulher para tentar entender o que estava acontecendo descobriu que ela estava dando a luz! Sim, o papai fez um parto, o primeiro de sua vida!!! Ele ficou bastante emocionado, e seguiu o protocolo perfeitamente: tirou o bebê, limpou, cortou o cordão umbilical... É uma menininha, mas ainda nem tem nome.
Valeu o dia, valeu a profissão, valeu a vida!!!

E nós aqui só ficamos babando de orgulho!!!


05 julho 2010

*Dia do Bombeiro*

Dia 02 de julho comemora-se o dia do bombeiro, mas a festa este ano foi no dia 04 de julho, na Praça da Independência.

Levamos os bombeirinhos aqui para passear e conhecer um pouco mais do trabalho do papai.
Foi uma festa muito bonita e o tempo colaborou, pois fez um sol maravilhoso!!!

O trio fez muito sucesso, parou o evento assim que chegamos, principalmente porque estavam "uniformizados", estavam com um body de salva-vidas que ganharam da tia Eva quando eu ainda estava grávida.

Todo mundo quis tirar fotos deles. Eles também tiraram foto com o "Pelé" (na verdade era o sósia) rsrsrsrs.


Os bebês curtiram passear, olhar aquele monte de coisa nova e dançar no final ao som da banda da Polícia Militar, a única coisa que não gostaram foram as sirenes durante o desfile. pois se assustaram com aquele barulhão.

02 julho 2010

*Crianças e cachorros*

Eu sempre quis ter cachorro, mas como morava em apartamento minha mãe nunca deixou. Eu e meu marido fizemos um pacto, quando casássemos teríamos um cachorro (meu desejo) e um Playstation (desejo dele)!

Casamos no dia 21 de janeiro de 2006, e no dia 14 de fevereiro meu marido me deu de presente um yorkshire, o Max. Me apaixonei!! Ele sempre foi meu companheirinho e vivia dentro de casa. Muitas vezes dormia no nosso quarto (apesar do meu marido não gostar nem um pouco), ou então eu o levava no colo até sua casinha para dormir. Passamos três anos grudados, em qualquer canto da casa que eu ia, lá estava o Max atrás.
Até que fiquei grávida e as coisas começaram a mudar. Ele passou a dormir todas as noites no quintal, assim  ia acostumando até os bebês nascerem. Pois bem, depois que os bebês nasceram as coisas mudaram mais ainda, ele nunca mais entrava em casa e eu raramente ia brincar com ele. Eu ficava com muita dó, mas não dava para brincar com ele e depois pegar os bebês.
Com o passar dos meses as coisas foram amenizando e deixava ele entrar em casa, mas ele nem queria saber dos bebês (e os bebês nem percebiam sua existência).
Outro dia brincando com o trio no quintal o Matheus começou a rir de seus latidos (tem um post deste dia), e a partir daí passaram a percebê-lo, os três ficam olhando, sorrindo... Resolvi tentar uma aproximação maior entre eles, mas com a maior cautela porque não quero nem pensar na possibilidade do Max se estressar com os bebês. Foi então que deixei ele entrar na sala onde os três estavam brincando. A Luana que estava de bruços se virou toda para ver o Max do outro lado. A Larissa e o Matheus olhavam para o Max e depois se olhavam e sorriam, parecia que conversavam com os olhos. Chamei o Max e permiti uma aproximação. Ele cheirou e se esfregou no pé da Luana, o Matheus e a Lala fizeram carinho, e o Max se comportou muito bem, apesar da euforia que ficou. Depois passei álcool em gel em todos os pedacinhos do corpo dos bebês que o Max cheirou, mas achei muito lindinho todos eles juntos, todos ficaram felizes, inclusive eu!